O expresso do amanhã (Snowpiercer)

O expresso do amanhã

O primeiro filme em inglês do diretor sul-coreano Bong Joon-ho, O expresso do amanhã (Snowpiercer), é baseado em uma HQ francesa. O elenco  traz: Chris Evans, Tilda Swinton, Jamie Bell, Octavia Spencer, Ewen Bremmer, Alisson Pill, John Hurt, Ed Harris, e Song Kang-ho.

O diretor Bong Joon-Ho, famoso pelos filmes O Hospedeiro e Mother, dirige agora O expresso do Amanhã, seu primeiro filme em inglês. O longa é inspirado na HQ francesa Le Transperceneige e é ambientalizado em um mundo pós apocalíptico.

A trama mostra a era de gelo causada por um experimento fracassado, que tinha como objetivo parar o aquecimento global e que no fim das contas praticamente exterminou toda a vida do planeta.

Os únicos sobreviventes vivem em um trem chamado Snowpiercer (picador de gelo) e sem destino definido, ele divide os passageiros por classes sociais em cada vagão.

Muitos dos passageiros não estão satisfeitos com seu destino enquanto uma revolução está cada vez mais próxima. Bong Joon-Ho assinou também o roteiro com a revisão final de Kelly Masterson. A estréia está prevista para outubro no Brasil.

Crítica O Expresso do Amanhã

O Expresso do Amanhã transmuta uma espécie de gráfico horizontal, resumindo perfeitamente o que é a raça humana e o capitalismo social que o predomina.

A primeira classe vai à frente do trem, formada por centenas de pessoas que não se importam com  os milhares de cidadãos da segunda classe,  resididos na cauda do trem.

Essa segunda classe é tratada a base de paulada e alimentada com uma geléia de proteína bem estranha. No meio do trem, está a força policial responsável em manter as classes subjugadas.

Bong Joon-Ho consegue equilibradamente oferecer um filme de personalidade distinta, com os exageros romantizados do cinema oriental e o realismo do cinema europeu. O protagonista é o recente Capitão América, o ator Chris Evans, que dá uma excelente interpretação.

O expresso do amanhã traz segredos sombrios e mortais, descobertos ao longo da trama. Ele consegue transmitir o aperto e os corredores estreitos cheios de pessoas.

O filme é sombrio, violento e com um criativo cenário apocalíptico. O tema vem sendo bastante explorado pelo cinema (e a televisão) nos últimos anos. A fotografia chega a causar claustrofobia e até mesmo repugnância.

O desfecho é o que parece ter dividido opiniões entre o público. Para quem já pode apreciá-lo, O expresso do Amanhã tem em sua conclusão a grande resposta dos motivos reais da revolução, talvez não dando ao espectador um final de grande impacto.

Compartilhar2
Twittar
+11
3 Compart.