X-Men: Dias de um futuro esquecido

Dirigido por Bryan Singer, o novo filme dos X-Men, Dias de um futuro Esquecido tem a missão de contar em pouco mais de duas horas de exibição o futuro dos mutantes mais conhecidos dos HQ’s e telonas do mundo. Caçados ferozmente pela criação de Bolívar Trask, os gigantes robôs chamados de Sentinelas, professor Charles Xavier, Tempestade, Magneto, Wolverine e Kitty Pride, uns dos poucos ainda sobreviventes nesse futuro desolado, estão fadados a viver escondidos e no anonimato para não acabarem mortos como os outros de sua espécie.

Para evitar o fim efetivo dos mutantes, eles buscam uma maneira de mudar o passado, para assim garantirem um novo futuro para todos, mas a viagem longa e estressante pode fazer com que eles entrem em colapso e, por isso, a única esperança que resta pode ser também o fim de um deles. Assim, surge a ideia de que Wolverine é o único capaz de aguentar tamanho desgaste, já que é capaz de se regenerar na mesma velocidade em que seu cérebro vai se deteriorar.

Kitty, então, envia a consciência de Logan em uma viagem para cinco décadas atrás na tentativa de evitar o opressor mundo em que vivem. Lá, ela encontra o corpo do mutante de 1970 e o faz procurar o ainda jovem Magneto, preso em no pentágono e Xavier, que está sem seus poderes ao usar o soro criado por Fera para voltar a andar.

Para uni-los, o mutante do futuro precisa convencê-los de que foi enviado por eles mesmos e explicar que caso Mística não seja detida a tempo, seu DNA será usado de base para criar a armada mais letal e perigosa de toda a história da humanidade, tantos para humanos, quanto mutantes.

Assim como no filme, “X-Men Primeira Classe”, James McAvoy e Michael Fassbender voltam a atuar como os jovens mutantes professor Xavier e Magneto, e tomam conta de quase toda película ao interagirem com Hugh Jackman, já que essa é a primeira vez em que personagens dos X-Men e do Primeira Classe atuam juntos.

Nesse quesito, o roteiro de Jane Goldman e Matthew Vaughn une de forma consistente e clara os dois momentos da vida dos super-heróis, e serve também para amarrar alguns pontos que ficaram sem solução nos filmes passados, ou que deveriam ser mudados para que a sequência de filmes que ainda está por vir não fique ilógica e cheia de erros – o que acaba por ser uma ótima surpresa para os fãs do filme que dessa vez podem apreciar um filme bem escrito e estruturado, e que consegue mistura pitadas de ação e comédia sem parecer desesperado em agradar.

O longa-metragem também acerta ao transportar o telespectador junto com Logan a década de 70, os figurinos, cenários e contexto histórico são de um cuidado artesanal, e nos inserem no fim da Guerra do Vietnã e no ainda clima tenso dos EUA logo após o assassinato do Presidente Kennedy.

Trilha sonora e efeitos especiais

Dias de um futuro esquecido

A trilha sonora também conduz o espectador de forma sublime e sabe ser irônica quando precisa, como na inteligente e divertida cena de Mercúrio na Casa Branca.

Os efeitos especiais são tão bons quanto os do último filme da franquia e, dessa vez, estão interligados ao inteligente fio condutor da película, e não são exageradamente usados para mostrar a capacidade de Hollywood de destruir uma cidade inteira apenas por diversão.

Para não perder o que já tinha sido construído em X-Men Primeira Classe, a relação conturbada entre Xavier e Erik é mais uma vez a base da história e, se vemos dois defensores dos mutantes, podemos perceber também que este é o único ponto em comum entre os dois, já que cada um possui uma visão completamente diferente de como os super-heróis do futuro deverão ser salvos.

Neste longa, o drama de Raven também ganha novas nuances, e a jovem se vê dividida entre ser a menina que cresceu com Xavier, ou a mulher que foi conduzida por Magneto. E, se para alguns fãs o novo longa da série pode se tornar obscuro e cheio de questões sem resposta, para outros ele pode ser o ponto inicial para uma nova e longa cadeia de sucessão que irá, aos poucos, responder cada dúvida levantada em “Dias de um Futuro Esquecido”.

O elenco conta ainda com Patrick Stewart, Ian McKellen, Halle Berry, Ellel Page, Hugh Jackman, Peter Dinklage, Adan Canto, Alexander Felici, Andreas Apergis, Anna Paquin, Bingbing Fan, Booboo Stewart, Daniel Cudmore, Evan Jonigkeit, Evan Peters, Gregg Lowe, Jaa Smith-Johnson, Jan Gerste, Jennifer Lawrence, Josh Helman, Lee Villeneuve, Lucas Till, Mark Camacho, Massimo Cannistraro, Nicholas Hoult, Omar Sy, Robert Montcalm e Shawn Ashmore.

Compartilhar3
Twittar
+11
4 Compart.